Cooperação ativa e intensa entre a Rússia e o Brasil na área política tem uma longa história. A primeira visita de alto representante brasileiro à Rússia foi realizada ainda no século XIX. Trata-se de uma viagem de caráter privado do Imperador Dom Pedro II. A nova fase do desenvolvimento das relações bilaterais foi registrada em 1988 quando o Presidente do Brasil, José Sarney, realizou a primeira visita oficial de um Chefe de Estado brasileiro à URSS. A interação intensificou-se ainda mais nos anos seguintes: em 1994 o Ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim, realizou a primeira visita oficial de Chanceler brasileiro à Rússia; em 1997 foi criada e começou os seus trabalhos a Comissão de Alto Nível de Cooperação.

No século XXI a prática de visitas de alto nível continuou. Em 2002 o Presidente Fernando Henrique Cardoso visitou a Rússia. Como resultado foi celebrada a "Parceria Estratégica" entre os dois países. Em 2003 o Ministro dos Negócios Estrangeiros, Igor Ivanov, realizou uma visita ao Brasil. No ano seguinte José Alencar, Vice-Presidente da República, esteve de visita oficial na Rússia. Em 2004 foi realizada a visita do Presidente Vladimir Putin ao Brasil, a primeira de um Chefe de Estado da Federação da Rússia, ocasião em que foi celebrada a "Aliança Tecnológica" entre os dois países. Em 2005 o Presidente Luiz Inácio Lula da Silva visitou a Rússia. Em 2006 o Chanceler russo, Sergey Lavrov, realizou uma visita ao Brasil que resultou na assinatura do Memorando de Entendimento para Estabelecimento de um Mecanismo de Diálogo Político e Cooperação entre o Mercosul e a Federação da Rússia.

Em 2008, ano de comemoração do 180º aniversário das relações diplomáticas entre os dois países, o Presidente da Rússia, Dmitry Medvedev, esteve no Brasil. Em 2010 o Chanceler brasileiro, Celso Amorim visitou a Rússia. Em maio de 2010 o Presidente do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva, visitou Moscou. Foi durante esse encontro que os líderes dos dois países assinaram "Plano de Ação da Parceria Estratégica entre a Federação da Rússia e a República Federativa do Brasil". No ano seguinte o Vice-Presidente do Brasil, Michel Temer, chegou para a Rússia com vistas a participar da Reunião da Comissão de Alto Nível. No mesmo ano o Chanceler brasileiro visitou a Rússia. Em 2012 a Presidente do Brasil, Dilma Rousseff, realizou uma visita oficial à Rússia, durante a qual celebraram uma série de documentos, incluindo "Plano de Ação da Parceria Estratégica: os próximos passos".Em 2013 o Presidente do Governo da Federação da Rússia, Dmitry Medvedev participou da Reunião da Comissão de Alto Nível de Cooperação. Em 2013 foram realizadas visitas do Ministro dos Negócios Estrangeiros da Rússia, Sergey Lavrov, e do Ministro da Defesa da Rússia, Sergey Shoigu. No mesmo ano o Chanceler brasileiro, Luiz Alberto Figueiredo Machado, chegou à Rússia.

Em 2017 tiveram lugar vários eventos importantes: a Reunião de Consultas Políticas entre a Rússia e o Brasil, a X Comissão Intergovernamental Rússia-Brasil de Cooperação Econômica, Comercial Científica e Tecnológica, a participação do Ministro da Defesa, Raul Jungmann, da VI Conferência sobre Segurança Internacional de Moscou e a visita do Secretário do Conselho de Segurança da Federação da Rússia, Nikolai Patrushev, ao Brasil.

Em 20-21 de junho de 2017 foi realizada uma viagem à Rússia do Presidente do Brasil, Michel Temer. Foi assinada uma série de atos, entre eles: Declaração Conjunta da República Federativa do Brasil e da Federação da Rússia sobre Diálogo Estratégico em Política Externa; Plano de Consultas Políticas Entre o Ministério das Relações Exteriores da República Federativa do Brasil e o Ministério dos Negócios Estrangeiros da Federação da Rússia para 2018-2021; Memorando de Entendimento Entre o Ministério das Relações Exteriores da República Federativa do Brasil e o Ministério do Desenvolvimento Econômico da Federação da Rússia na Área da Cooperação Econômica e de Investimentos; Protocolo Entre o Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (República Federativa do Brasil) e o Serviço Federal Alfandegário (Federação da Rússia) sobre Cooperação, Informação, Intercâmbio e Assistência Mútua no Sistema Uniforme de Preferências Tarifárias da União Econômica Euroasiática; Memorando de Entendimento entre a Secretaria da Receita Federal do Brasil, Órgão do Ministério da Fazenda, da República Federativa do Brasil, e o Serviço Federal Alfandegário, da Federação da Rússia, sobre o Intercâmbio de Informações de Bens e Veículos que Circulem entre a Federação da Rússia e a República Federativa do Brasil.

Além disso, os presidentes e os chanceleres da Rússia e do Brasil têm se encontrado às margens de várias cúpulas e conferências multilaterais (cúpulas do BRICS, G20, sessões da Assembleia Geral da ONU).

Além das reuniões de chefes de Estado e de Ministros, ativos e intensos nos últimos anos são os contatos ao nível dos Ministérios das Relações Exteriores, também se continuam consultas ministeriais ao nível de vice-ministros e diretores de departamentos. Com sucesso estão funcionando a Comissão Intergovernamental de Comércio, Cooperação Econômica e Técnico-Científica e a Comissão de Alto Nível de Cooperação. No âmbito da Comissão Política, que faz parte da Comissão de Alto Nível, são regularmente organizadas consultas sobre segurança e estabilidade estratégica ao nível de vice-ministros dos negócios estrangeiros e consultas ministeriais sobre o funcionamento da ONU, assuntos consulares e outras questões. As reuniões são realizadas na Assembleia Geral da ONU e nas margens das cúpulas do BRICS. Além disso, a Rússia e o Brasil cooperaram ativamente no âmbito do G20.

Outro aspeto das relações bilaterais que merece ser mencionado é a cooperação inter-regional entre estados do Brasil e regiões da Federação Russa. Moscou, São Petersburgo, Tataristão têm laços fortes com os estados do Rio de Janeiro, São Paulo, Santa Catarina, Espírito Santo.

Cresce o volume do comércio bilateral e dos investimentos entre a Rússia e o Brasil, se desenvolve a troca de tecnologias, inclusive tecnologias de produção de armas e equipamento militar. Foi assinada uma série de contratos para o fornecimento para o Brasil de helicópteros de ataque Mi- 35, lançador portátil de mísseis"Igla-S" e outros tipos de equipamentos . Em 2012, empresa brasileira "Odebrecht Defesa e Tecnologia" e corporação russa "Rostech" assinaram um memorando de parceria tecnológica, que prevê a criação de uma empresa conjunta no Brasil para a produção de helicópteros multifuncionais Mi-171, de um centro de serviços para helicópteros militares e de transporte  Mi-35M e o desenvolvimento de um sistema de defesa aérea para as necessidades das forças armadas brasileiras. Em 2012 foi assinado o Acordo de Cooperação na Área Militar, e em 2013 – a Declaração de Intenções Relativa à Cooperação em Defesa Antiaérea.

Em geral, o diálogo político entre a Rússia e o Brasil tem a dinâmica positiva com contatos intensos a todos os níveis. Realizam-se consultas sobre os assuntos principais da agenda internacional, bem como questões das relações bilaterais.