Cooperação ativa e intensa entre a Rússia e o Brasil continua no século XXI. Em maio de 2010 o Presidente do Brasil Luiz Inácio Lula da Silva visitou Moscou. Foi durante este encontro que os líderes assinaram "Plano de Ação da Parceria Estratégica entre a Rússia e a República Federativa do Brasil". Além disso, os Presidentes da Rússia e do Brasil têm se encontrado nas margens de várias cúpulas e conferências (cúpula dos BRICS na China em 2011, a cúpula do G 20 no México em 2012, cimeira Rio+20 no Brasil em 2012 e cimeira do G 20 na Rússia em 2013). Em dezembro de 2012 chegou a Moscou a Presidente Dilma Rousseff com visita oficial, durante a qual celebraram uma série de documentos, incluindo "Plano de Ação da Parceria Estratégica: os próximos passos". Em 2013 visitaram o Brasil o primeiro-ministro D. Medvedev (fevereiro), o ministro dos negócios estrangeiros S. Lavrov (junho) e o ministro da defesa V. Shoigu (outubro).

Além das reuniões de chefes de Estado e de Ministros, ativos e intensos nos últimos anos são os contatos ao nível dos Ministérios das Relações Exteriores, também se continuam consultas ministeriais ao nível de vice-ministros e diretores de departamentos. Com sucesso estão funcionando a Comissão Intergovernamental de Comércio, Cooperação Econômica e Técnico-Científica e a Comissão de Alto Nível de Cooperação. No âmbito da Comissão Política, que faz parte da Comissão de Alto Nível, são regularmente organizadas consultas sobre segurança e estabilidade estratégica ao nível de vice-ministros dos negócios estrangeiros e consultas ministeriais sobre o funcionamento da ONU, assuntos consulares e outras questões. As reuniões são realizadas na Assembléia Geral da ONU e nas margens da cimeira BRICS. Além disso, a Rússia e o Brasil cooperaram ativamente no âmbito do Grupo G20.

Outro aspeto das relações bilaterais que merece ser mencionado é a cooperação inter-regional entre estados do Brasil e regiões da Federação Russa. Moscou, São Petersburgo, Tartaristão têm laços fortes com os estados do Rio de Janeiro, São Paulo, Santa Catarina, Espírito Santo.

Cresce o volume do comércio bilateral e dos investimentos entre a Rússia e o Brasil, se desenvolve a troca de tecnologias, incluindo tecnologias de produção de armas e equipamento militar. Foi celebrada uma série de contratos para o fornecimento para o Brasil de helicópteros de ataque Mi- 35, lançador portátil de mísseis"Igla-S" e outros tipos de equipamentos . Em 2012, empresa brasileira "Odebrecht Defesa e Tecnologia" e corporação russa "Rostech" assinaram um memorando de parceria tecnológica, que prevê a criação de uma empresa conjunta no Brasil para a produção de helicópteros multifuncionais Mi-171, de um centro de serviços para helicópteros militares e de transporte  Mi-35M e o desenvolvimento de um sistema de defesa aérea para as necessidades das forças armadas brasileiras. Em 2012 foi assinado o Acordo de Cooperação na Área Militar, e em 2013 – a Declaração de Intenções Relativa à Cooperação em Defesa Antiaérea.

Em geral, o diálogo político entre a Rússia e o Brasil tem a dinâmica positiva, mantidos contatos intensos a todos os níveis. Realizam se consultas em relação aos pontos principais da agenda internacional, bem como questões das relações bilaterais.